Festival de Brasília 2015

48º Festival de Brasília começa com documentário de Walter Carvalho

Neusa Barbosa

 Com a exibição do documentário Um filme de cinema, de Walter Carvalho – que participou da competição no Festival É Tudo Verdade –, abre-se nesta terça (15) a 48ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. A escolha de Walter Carvalho na abertura também homenageia Vladimir Carvalho, irmão de Walter, um dos maiores documentaristas brasileiros, que em 2015 completou 80 anos de idade.
 
No filme de Walter, realizado ao longo de vários anos, alinham-se depoimentos de diversos diretores e um ator, falando sobre suas razões de fazer cinema: Béla Tarr, Ruy Guerra, Júlio Bressane, Lucrécia Martel, José Padilha, Benedek Fliegauf, Jia Zhangke, Gus Van Sant, Ken Loach, Ariano Suassuna, Karim Aïnouz, Andrzej Wadja, Hector Babenco, Asghar Farhadi e Salvatore Cascio.
 
Na competição principal de longas, dos seis concorrentes, cada título é de um estado diferente. Diretores jovens e veteranos assinam seis filmes de longa-metragem e 12 filmes de curtas e médias-metragens que disputam prêmios no valor total de R$ 340 mil. Eles foram escolhidos dentro de um universo de 130 longas-metragens, 221 médias e 237 curtas-metragens de vários estados.
 
Entre os longas, são estes os candidatos: A Família Dionti, de Alan Minas (97min, RJ, 2015), Big Jato, de Claudio Assis (92min, PE, 2015), Fome, de Cristiano Burlan (90min, SP, 2015), Para Minha Amada Morta, de Aly Muritiba (113min, PR, 2015), Prova de Coragem, de Roberto Gervitz (90min, RS, 2015) e Santoro - O Homem e sua Música, de John Howard Szerman (85min30, DF, 2015).
 
Na seção de médias e curtas, foram escolhidos: A Outra Margem, deNathália Tereza (26 min, MS, 2015), À Parte do Inferno, deRaul Arthuso (22min, SP, 2015), Afonso é uma Brazza, de Naji Sidki e James Gama (23min, DF, 2015), Cidade Nova, deDiego Hoefel (14min, CE, 2015), Command Action, de João Paulo Miranda Maria (13min, SP, 2015), Copyleft, deRodrigo Carneiro (29min30, MG, 2015), História de uma Pena, de Leonardo Mouramateus (30min, CE, 2015), O Corpo, deLucas Cassales (16min, RS, 2015), O Sinaleiro, deDaniel Augusto (15min, SP, 2015), Quintal, deAndré Novais Oliveira (20min, MG, 2015), Rapsódia para o Homem Negro, deGabriel Martins (24min, MG, 2015) e Tarântula, deAly Muritiba e Marja Calafange (20min, PR, 2015).
 
A estes 18 filmes somam-se outros 18, que competem ao Troféu Câmara Legislativa (com um total de R$ 200 mil em prêmios) e que foram selecionados entre 81 produções do Distrito Federal, inscritas para a Mostra Brasília.
 
As sessões das mostras competitivas (às 20h30) e da Mostra Brasília (17h) acontecerão sempre no Cine Brasília, assim também as cerimônias de abertura e encerramento do festival. No dia seguinte à exibição oficial, os filmes poderão ser vistos na sala 4 do Cine Cultura Liberty Mall, em sessões que começam às 14h30.
 
Para a cerimônia de encerramento, antes da entrega dos prêmios, será exibido Até que a casa caia, novo longa-metragem do diretor Mauro Giuntini, que reúne atores de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. No elenco: Marat Descartes, Virginia Cavendish, Marisol Ribeiro, Emanuel Lavour, André Amaro, Bidô Galvão, Juliana Drummond, Chico Sant’Anna, Alice Stefânia, Davi Maia, João Antônio, João Paulo Oliveira, Rômulo Augusto, Adriana Nunes, Patricia Marjorie, Cibele Amaral, Gê Martu, José de Campos e Cynthia Carla.
 
Atividades paralelas
 
Seminários, máster classes e o Fórum de Coprodução Internacional completam a programação do festival (dependendo de inscrição prévia, completada em 4 de setembro).
 
O Seminário Curadoria e Circuitos contará com participação especial do francês Nicolas Azalbert, crítico da revista Cahiers du Cinema, especializado em cinema latino-americano; Cleber Eduardo, curador do Festival de Tiradentes; Antonio Junior, um dos diretores artísticos do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba; e Marcela Borela, uma das diretoras artísticas do Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental, de Goiânia. Eles vão discutir o ofício da curadoria.
 
Três master classes irão abordar Fotografia, Roteiro e Produção para cinema. A primeira – no dia 16 – será ministrada pelo grande fotógrafo e cineasta Walter Carvalho. No dia 18, o premiado Marcos Bernstein, roteirista de alguns dos maiores sucessos do cinema nacional, como Central do Brasil e Chico Xavier, vai falar sobre o ofício de roteirista. E no dia 22, os caminhos e percalços da produção cinematográfica com Marcelo Torres, diretor de produção de Cidade Baixa, Cazuza – o tempo não para e Diários de Motocicleta.

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança