Gramado realiza sua edição mais aguerrida

“Pacarrete” é o grande vencedor de Gramado com 8 Kikitos

Sem assinatura

 O longa brasileiro “Pacarrete conquistou oito Kikitos no 47º Festival de Cinema de Gramado. O costa-riquenho El despertar de las hormigas foi o melhor filme entre os longas estrangeiros e a animação Apneia obteve o prêmio de curta-metragem brasileiro. Estreando na mostra competitiva, a categoria de longas gaúchos premiou “Raia 4” como melhor filme. 
 
Além do Kikito de melhor atriz para Marcélia Cartaxo, a produção cearense Pacarrete levou ainda o prêmio de melhor filme do júri oficial e popular, direção para Allan Deberton, roteiro, ator e atriz coadjuvantes e desenho de som. Veneza, de Miguel Falabella, e O homem cordial”, de Iberê Carvalho, conquistaram dois prêmios cada. 
 
Entre os longas estrangeiros, a escolha do júri premiou cinco filmes diferentes em seis categorias oficiais. En el pozo, produção uruguaia dos irmãos Bernardo e Rafael Antonacceo, foi contemplado com dois Kikitos: roteiro e direção. Além de melhor filme, El despertar de las hormigas também levou menção honrosa para as meninas Isabella Moscoso e Avril Alpizar por suas excelentes atuações. 
 
Entre os curta-metragens brasileiros, os Kikitos foram distribuídos para 11 produções diferentes. Animações, documentários e trabalhos experimentais foram contemplados pelo júri. 
 
Foram distribuídos 15 prêmios para a categoria Longas-metragens Brasileiros, 10 para os Longas Estrangeiros, 15 para os Curtas Brasileiros e um para a categoria Longas-metragens Gaúchos.
 
Ao todo foram distribuídos R$ 285 mil em dinheiro, além dos prêmios Edina Fujii CiaRio/ Naymar (R$ 48 mil) e Tecna PUC-RS (R$ 30 mil). 
 
A edição 2019 do Festival de Cinema de Gramado foi marcada pela força do audiovisual brasileiro neste momento do país, demonstrada pela qualidade dos concorrentes e pela união dos participantes em defesa do setor.
 
O Palácio dos Festivais foi palco de protestos e manifestações de resistência que culminou na Carta de Gramado, assinada por 63 entidades. Nela destacou-se a importância do cinema para a cultura e autoestima de um país, assim como sua relevância na economia nacional. “Nossa cadeia produtiva é dinâmica e movimenta mais de R$ 25 milhões por ano, representando 0.46 do PIB brasileiro. Tem uma taxa de crescimento de 8.8 ao ano e é responsável por mais 330 mil empregos. Garantir o audiovisual fortalecido e livre é fundamental para a soberania nacional", diz um trecho. 

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança