Brasília termina com saldo positivo, apesar de tudo

"A febre" é o grande vencedor do Festival de Brasília

Cineweb

 A Febre, dirigido por Maya Da-Rin, foi o grande vencedor do Festival de Brasília, com cinco prêmios: melhor longa-metragem (júri técnico), direção, ator (Régis Myrupu), fotografia (Bárbara Alvarez) e som (Felippe Schultz Mussel, Breno Furtado, Emmanuel Croset). [Na foto, o produtor Leonardo Macchi agradece o prêmio]. O brasiliense O tempo que resta, de Thaís Borges, foi eleito pelo público e pela Abraccine (Associação brasileira dos críticos de cinema) o melhor longa da mostra competitiva, elém do prêmio de roteiro.
 
Dirigido por Gil Baroni, Alice Júnior foi o segundo maior ganhador desta edição, com quatro Candangos: melhor atriz (Anne Celestino), atriz coadjuvante (Thais Schier), trilha sonora (Vinicius Nisi) e montagem (Pedro Giongo). Piedade, de Cláudio Assis, ficou com três: Prêmio Especial do Júri para Assis, melhor direção de arte e ator coadjuvante (Cauã Reymond).
 
Na categoria curta-metragem, o prêmio de melhor filme do júri técnico ficou com , dirigido por Ana Flávia Cavalcanti e Julia Zakia. Já a animação Carne, de Camila Kater, foi o preferido do público e da Abraccine. Alfazema, de Sabrina Fidalgo, levou o prêmio de melhor direção e trilha sonora.
 
Premiação completa
 
Mostra Competitiva – Longa-metragem
 
SOM
A Febre, de Maya Da-Rin
Equipe de Som: Felippe Schultz Mussel, Breno Furtado, Emmanuel Croset

TRILHA SONORA
Alice Júnior, de Gil Baroni,
Trilha Sonora de Vinicius Nisi
 
DIREÇÃO DE ARTE
Piedade, de Claudio Assis
Direção de Arte: Carla Sarmento
 
MONTAGEM
Alice Júnior
Montagem: Pedro Giongo

FOTOGRAFIA
A Febre
Direção de Fotografia: Bárbara Alvarez

ROTEIRO
O tempo que resta, de Thaís Borges
Roteiro: Thaís Borges

ATOR COADJUVANTE
Piedade
Ator coadjuvante: Cauã Reymond
 
ATRIZ COADJUVANTE
Alice Júnior
Atriz coadjuvante: Thais Schier

ATOR
A febre
Melhor ator: Régis Myrupu
 
ATRIZ
Alice Júnior
Melhor Atriz: Anne Celestino
 
DIREÇÃO LONGA METRAGEM
A febre
LONGA METRAGEM JÚRI POPULAR
O tempo que resta 

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI - LONGA-METRAGEM
Claudio Assis, pelo filme Piedade

LONGA METRAGEM – MOSTRA COMPETITIVA (PRÊMIO TÉCNICO DOT CINE)
A febre

PRÊMIO SARUÊ – CORREIO BRAZILIENSE
Escola sem sentido, filme de Thiago Foresti

PRÊMIO ABRACCINE – MELHOR FILME LONGA METRAGEM COMPETITIVA
O tempo que resta 
 
MENÇÃO HONROSA
Ary y yo, de Adriana de Farias
Boca de ouro, de Daniel Filho
Um filme de verão, de Jo Serfaty

Mostra Competitiva – Curta-metragem
SOM
A nave de Mané Socó, Severino Dadá
Som: Guma Farias e Bernardo Gebara

TRILHA SONORA
Alfazema, de Sabrina Fidalgo
Trilha Sonora: Vivian Caccuri

DIREÇÃO DE ARTE
Parabéns a você, de Andreia Kaláboa
Direção de arte: Isabelle Bittencourt

MONTAGEM
A nave de Mané Socó
Montagem: André Sampaio

FOTOGRAFIA
Parabéns a você
Direção de Fotografia: João Castelo Branco

ROTEIRO
Carne, de Camila Kater
Roteiro: Camila Kater e Ana Julia Carvalheiro

ATOR
A nave de Mané Socó
Melhor ator: Severino Dadá

ATRIZ
Angela, de Marilia Nogueira
Melhor atriz: Teuda Bara

MELHOR CURTA METRAGEM JÚRI POPULAR – MOSTRA COMPETITIVA (PRÊMIO TÉCNICO EDINA FUJII CIARIO)
A Carne

MELHOR CURTA METRAGEM – MOSTRA COMPETITIVA (PRÊMIO TÉCNICO DOT CINE E CINEMATICA)
, de Júlia Zakia e Ana Flavia Cavalcanti

PRÊMIO MARCO ANTÔNIO GUIMARÃES
Chico Mendes, um Legado a Defender, de João Inácio

PRÊMIO CANAL BRASIL DE CURTAS - MELHOR FILME CURTA METRAGEM COMPETITIVA
Sangro, de Tiago Minamisawa e Bruno H. Castro. Co-direção de Guto BR

PRÊMIO ABRACCINE – MELHOR FILME CURTA METRAGEM COMPETITIVA
A Carne
Mostra Brasília BRB

DIREÇÃO
Mãe, de Adriana Vasconcelos

CURTA METRAGEM JÚRI POPULAR
Escola sem sentido, de Thiago Foresti
LONGA METRAGEM JURI POPULAR
Dulcina, de Glória Teixeira
 
MELHOR CURTA METRAGEM – MOSTRA BRASÍLIA (PRÊMIO TECNICO EDINA FUJII CIARIO)
Escola sem sentido 
MELHOR LONGA METRAGEM– MOSTRA BRASÍLIA (PRÊMIO TECNICO EDINA FUJII CIARIO)
Dulcina
 
DIREÇÃO CURTA METRAGEM – MOSTRA COMPETITIVA
Alfazema   
 
EDIÇÃO DE SOM
Mito e música – a mensagem de Fernando Pessoa, de André Luiz Oliveira e Rama Oliveira
Edição de Som: Laurent Mis
 
TRILHA SONORA
Mito e música a mensagem de Fernando Pessoa
Trilha de: André Luiz Oliveira 
 
DIREÇÃO DE ARTE
Dulcina
Direção de arte: Ursula Ramos e Demétrios Pina
 
MONTAGEM
Ainda temos a imensidão da noite, de Gustavo Galvão
Montagem: Marcius Barbieri

FOTOGRAFIA
Ainda temos a imensidão da noite
Direção de Fotografia: André Carvalheira
 
ROTEIRO
Mito e música a mensagem de Fernando Pessoa
Roteiro: Rama de Oliveira
 
ATOR
Escola sem sentido
Ator: Wellington Abreu
 
ATRIZ
Dulcina
Atrizes: Bido Galvão, Carmem Moretzsohn, Iara Pietricovsky, Theresa Amayo, Glória Teixeira e Françoise Fourton.

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança