Sou Feia Mas Tô Na Moda

Ficha técnica

  • Nome: Sou Feia Mas Tô Na Moda
  • Nome Original: Sou Feia Mas Tô Na Moda
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2005
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 61 min
  • Classificação: 14 anos
  • Direção: Denise Garcia
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Tati Quebra-Barraco e Deise da Injeção são apenas algumas personalidades do cenário do funk carioca que é o tema deste documentário. O filme investiga o papel crescente da mulher e suas conseqüências nesse universo outrora apenas dominado por homens.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

12/12/2005

O documentário brasileiro Sou Feia Mas Tô Na Moda aborda o funk carioca sob um prisma diferente daquele que tem sido tão explorado nos últimos tempos. O longa fala da ascensão do universo feminino nesse mundo, até então dominado por homens. O reflexo disso é o sucesso crescente de cantoras, como Tati Quebra-Barraco.

O documentário, dirigido por Denise Garcia, acompanha a vida dessas garotas que trouxeram uma nova cara para o funk carioca. Como não podia deixar de ser, o filme conta com depoimentos de funkeiras como Tati Quebra-Barraco (autora da música que inspirou o título do documentário), Deise da Injeção e do DJ Malboro.

Com seu Sou Feia Mas Tô Na Moda, a cineasta busca quebrar alguns preconceitos. Um deles é de que todo funk é indecente e faz apologia ao sexo. Com diversos depoimentos de cantoras e jovens que gostam desse estilo de música, o longa mostra como o funk cumpre também uma função social nas favelas do Rio. Uma das músicas, por exemplo, fala da importância de se usar camisinha e outra da importância de uma garota ir ao ginecologista periodicamente.

Em seu primeiro filme, a gaúcha radicada no Rio Denise Garcia consegue um feito raro no cinema documental. Existe uma confiança muito grande entre ela e seus entrevistados. Dessa forma, muitas jovens se abrem em depoimentos interessantes e até mesmo reveladores. Como é o caso de uma garota que tem medo enfrentar preconceito por ainda ser virgem, por isso nega a sua virgindade.

Com pouco mais de uma hora de duração, Sou Feia Mas Tô Na Moda trata de diversos assuntos relacionados ao funk, como as origens do movimento, a sua repercussão atualmente e seu reflexo sócio-cultural na sociedade carioca. Mas acima de tudo, mostra que existe até mesmo um subtexto feminista nesse mundo do funk que está mudando. Também revela que antes de serem funkeiras, essas jovens são mães, esposas, filhas e trabalhadoras.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança