Noites de Tormenta

Ficha técnica


País


Sinopse

Enquanto toma conta do hotel da amiga numa praia, mulher divorciada acaba se envolvendo com o único hóspede: um médico solitário, que tenta superar um erro profissional.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

02/10/2008

Depois de Cotton Club (1985) e Infidelidade (2002), Diane Lane e Richard Gere se reúnem novamente para protagonizar o drama romântico Noites de Tormenta. Porém, o reencontro da dupla não tem nada de memorável.

O roteiro é baseado num romance homônimo de Nicholas Sparks (que acaba de ser lançado no Brasil). Esse escritor é uma espécie de rei dos livros românticos, que já renderam adaptações como Uma Carta de Amor e Diário de uma Paixão. Noites de Tormenta não foge à regra.

Adrienne (Diane) é uma divorciada de meia-idade, mãe de dois filhos, que vive para eles. Quando as crianças saem em viagem com o pai (Christopher Meloni, de Noiva em Fuga), ela vai cuidar de uma pousada de uma amiga que saiu em viagem, mas está esperando um hóspede.

Esse único hóspede é o Dr Paul Flanner (Gere), que vai à pequena cidade litorânea de Rodanthe para tentar superar um erro. Mas ele não é o único esperado na pousada à beira mar: um furacão está se aproximando. Se, a princípio, Paul e Adrienne mal se falam – ele, sempre muito fechado – uma série de acontecimentos acaba aproximando-os.

E, claro, ambos vão redescobrir o amor. Mas há outros problemas a enfrentar. Paul precisa recuperar a amizade do filho (James Franco), que o abandonou, e Adrienne precisa explicar para os filhos pequenos que não quer voltar para o ex-marido, pois tem um novo namorado.

Mas nas histórias de Spark, o amor parece andar de mãos dadas com a punição. Ninguém é capaz de ser plenamente feliz em seus livros, sempre algo chega para atrapalhar.

Porém, o que mais atrapalha em Noites de Tormenta não é a impossibilidade do amor, e sim a quantidade de clichês que se intrometem na química do casal central e acabam com qualquer humanismo que poderia existir nos personagens, que mais parecem marionetes sem emoções verdadeiras.

Nem o carisma de Diane e Gere, nem a fotografia do brasileiro Affonso Beato (O Amor nos tempos do Cólera, O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro) são capazes de salvar o filme de um desastre maior que o causado pelo furacão que assombra os personagens.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança