Chacrinha - O velho guerreiro

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Largando o emprego de músico de navio, o pernambucano José Abelardo Barbosa de Medeiros resolve ficar no Rio de Janeiro. Lá, depois de comer o pão que o diabo amassou, torna-se radialista, criando o personagem Chacrinha - que a TV tornaria mais famoso ainda.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

28/09/2018

Chacrinha – O Velho Guerreiro, de Andrucha Waddington, é uma cinebiografia que chega em boa hora, em tempos em que há mais quem venha para confundir do que para explicar – este, um dos motes mais famosos de José Abelardo Barbosa de Medeiros (1917-1988), o radialista e apresentador de TV que passou à história como Chacrinha.
 
Pernambucano de Surubim, José Abelardo (Eduardo Sterblitch) chega ao Rio quando o navio em que era um improvisado baterista da banda de bordo tem que fazer uma parada. Decide ficar pela cidade, então a capital do País, comendo o pão que o diabo amassou e tornando-se radialista. O esquema da Rádio Fluminense era dureza: Abelardo tinha que fazer o programa à noite e garantia algum dinheiro fazendo a publicidade de produtos com seus bordões, que finalmente lhe dariam fama e alguma fortuna.
 
Foi ainda no rádio que virou Chacrinha (Stepan Nercessian), chegando à televisão no seu início, quando ninguém, nem ele, acreditava no poder da telinha. Mas ele já dominava as técnicas da comunicação popular, com seu visual carnavalesco e comportamento pré-politicamente correto, empunhando a buzina para gongar calouros (cujas características físicas não raro ele ironizava), disparando bordões como “Alô, alô Terezinha” e realizando seus inacreditáveis arremessos de produtos para a plateia, como bacalhau (bons tempos aqueles).
 
O roteiro de Cláudio Paiva explora os bastidores do programa do apresentador na TV Globo, seu período áureo, os embates com o todo-poderoso Boni (Thelmo Fernandes), os conflitos com a mulher (Carla Ribas) e os filhos (Rodrigo Pandolfo e Pablo Sanábio), sem nunca abrir mão de um controle absoluto sobre tudo e todos – um temperamento um tanto tirânico de que não poderiam suspeitar os inúmeros espectadores do personagem histriônico e bonachão que ele interpretava diante das câmeras.  
 
Há inúmeros nomes famosos da época, como Elke Maravilha (Gianne Albertoni), Clara Nunes (Laila Garin) – duas das mulheres da vida de Chacrinha -, Rita Cadillac (Karen Junqueira) e outros, sem uma preocupação excessiva em encontrar pessoas fisicamente semelhantes.
 
De todo modo, o filme de Waddington é eficiente na reconstituição do clima da época e das ambiguidades do personagem, verdadeiro ícone pop que se fez a si mesmo, encontrando seu lado humano na interpretação dedicada de Stepan Nercessian, que o encarna na maturidade.

Neusa Barbosa


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança