Bumblebee

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Enquanto o planeta Cybertron enfrenta uma guerra civil, o líder dos rebeldes, Optimus Prime, manda um de seus soldados à Terra, para a proteger até que possam se refugiar no planeta. Chegando aqui, o enviado se transforma num fusca amarelo e se torna amigo de uma garota.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

05/12/2018

Bumblee é, facilmente, o melhor filme da série Transformers – o que não é um feito muito difícil, mas o longa consegue isso com louvor, porque é realmente um filme e não uma sucessão de explosões, cenas de violência e barulho protagonizadas por carros que se transformam em robôs. Ajuda também o fato de ter um diretor mais interessado em personagens e narrativas do que Michael Bay, diretor de todos os longas da franquia. Travis Knight, veterano de animações (e diretor de Kubo e as cordas mágicas), assume o posto e presta uma homenagem aos filmes dos anos de 1980 – especialmente ET – O extraterrestre.
 
Outro fator positivo é ter como protagonista Hailee Steinfeld, uma atriz bastante competente, no papel de Charlie, uma garota rebelde que se isolou da família e dos amigos desde a morte do pai. Seu único prazer é mexer em carros e conseguir peças na oficina de um velho amigo. É lá que encontra um antigo fusca amarelo abandonado e coberto de poeira. Quando o leva para casa, descobre que ele é um robô alienígena que se transforma em carro.
 
Bumblebee, como ela o batiza, é um soldado da resistência em seu planeta, Cybertron, onde uma guerra civil acontece há anos, entre os Autobots e os violões Decepticons. Quando Optimus Prime, líder dos rebeldes, percebe que estão para perder a batalha, manda para a Terra B-127, que irá proteger o planeta e seus habitantes, pois poderá tornar-se um abrigo para os Autobots no futuro.
 
Sob os cuidados de Charlie, que logo descobre quem, ou o que, é Bumblebee, o robô/carro é como um grande animal de estimação, desastrado e doido para brincar. Isso tudo ajuda, no roteiro de Christina Hodson, a criar situações cômicas, quando a protagonista treina o alienígena para se transformar rapidamente na versão fusca sempre que um desconhecido se aproxima. E, para uma franquia tão centrada no universo e personagens masculinos, é um alívio que traga ao centro uma garota, repleta de atitude e coragem. E surge um interesse amoroso e parceiro de aventuras, na figura de Memo (Jorge Lendeborg Jr.).
 
Situar o filme em 1987 também serve como pretexto para resgatar clássicos da música pop da década, bem como a paranoia da Guerra Fria que estava acabando. Quando dois Decepticons chegam à Terra, rastreando B-127, passam-se por alienígenas amigáveis e pedem ajuda ao exército americano. O responsável, o Agente Burns (John Cena), fica na dúvida, mas alguém avisa: eles podem aliar-se aos russos.
 
A decisão de tornar o filme menos explosivo, menos barulhento, menos alucinado é acertada. Aqui a trama é até mais intimista em alguns momentos e, no fundo, é a história de amadurecimento de Charlie e Bumblebee. Ainda assim, é inevitável que haja algo de reciclado no filme. Partes de diversos Transformers, além de longas protagonizados por adolescentes nos anos de 1980, são unidas. O efeito é até de reciclagem, mas nesse caso, uma boa reciclagem. 

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança