Notícias

Festival Internacional de Mulheres no Cinema divulga suas premiações

Publicado em 12/07/18 às 18h13

Terminou na nesta quarta-feira, 11 de julho, a 1ª edição do FIM – Festival Internacional de Mulheres no Cinema. Na cerimônia realizada no CineSesc, foram anunciados os filmes premiados pelo público e pela crítica e também os projetos contemplados pelo F.A.M.A. – Fundo Avon de Mulheres no Audiovisual.
 
Entre os sete participantes da categoria nacional, venceu Slam: Voz de Levante, de Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D'Alva. O filme retrata os campeonatos performáticos de poesia falada, acompanhando a poetisa negra e feminista Luz Ribeiro, campeã brasileira de 2016, até a Copa do Mundo da modalidade em Paris. Já na mostra internacional, o longa favorito do público entre os seis concorrentes foi o mexicano Tesoros, de María Novaro, que ressalta a importância de se cuidar do meio-ambiente a partir da história de um grupo de crianças em busca de um tesouro escondido por um pirata há quatro séculos.
 
A 1ª edição do Festival também teve um prêmio concedido pela crítica. O Elviras, coletivo de mulheres que escrevem críticas cinematográficas e produzem reflexão teórica sobre o audiovisual, escolheu um título entre todos os selecionados das mostras Lute Como uma Mulher e O Fogo que não se Apaga para entregar o troféu especial do FIM.
 
O vencedor do Prêmio da Crítica Coletivo Elviras foi o documentário Lampião da Esquina, dirigido por Lívia Perez. O filme aborda a criação, durante a ditadura militar brasileira, do jornal Lampião, que trazia o ponto de vista dos homossexuais sobre diversas questões, como sexualidade, racismo, aborto, drogas e prostituição.          
 
Foram anunciados ainda na cerimônia de encerramento do FIM os projetos contemplados na 1ª edição do Fundo Avon de Mulheres no Audiovisual. A iniciativa propõe a equidade de gênero no setor audiovisual e oferece apoio financeiro a projetos de longa metragem nacionais dirigidos apenas por mulheres.
 
Entre os 470 inscritos, o comitê de juradas formado por Celia Catunda, Francine Barbosa, Malu Andrade, Minom Pinho e Patrícia Durães escolheu os cinco vencedores, de acordo com quesitos como originalidade, qualidade técnica e artística, viabilidade financeira, relevância, participação de mulheres em outras funções e contribuição do projeto para uma melhor representação feminina no cinema. São eles:
 
A Primeira Morte de Joana, dirigido por Cristiane de Oliveira
Cidade do Funk, dirigido por Sabrina Viana Fidalgo da Silva
Cais, dirigido por Safira Moreira dos Santos
Daqui de Dentro, dirigido por Larissa Ribeiro Bezerra
Minha Fortaleza, os filhos de fulano, dirigido por Tatiana Lohman
 
Entre os premiados desta edição do F.A.M.A., estão projetos de diretoras da Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pará e São Paulo, e dois deles têm a direção de mulheres negras. 
 
Encerrando o FIM, foi exibido no CineSesc o longa Paraíso Perdido, de Monique Gardenberg. O filme foi um dos três contemplados pela edição piloto do F.A.M.A., em 2016. Os outros dois, em fase de produção, são Pedro, dirigido por Laís Bodanzky, e Diálogos com Ruth de Souza, de Juliana Vicente.
 

Outras notícias