27/02/2024
Fantasia Curta-metragem

O Balão Vermelho

Indo para a escola, um garoto encontra um balão vermelho preso a um poste e pega-o para si. Mais tarde, a bexiga começa a misteriosamente segui-lo, o que resulta numa série de acontecimentos envolvendo outras crianças.

post-ex_7
Mais de cinqüenta anos depois de sua primeira exibição, o curta O Balão Vermelho, de Albert Lamorisse, ainda continua atual e capaz de encantar. A trama é tão simples quanto mágica: um menino encontra um balão vermelho preso a um poste, quando vai à escola. Ele pega a bexiga mas, ao chegar em casa, a avó solta o balão pela janela. Mostrando uma estranha lealdade, o balão recusa-se a ir embora e passa a seguir o garoto pelas ruas de Paris.

Junto com seu balão, Pascal (Pascal Lamorisse, filho do diretor) enfrenta os ritos de passagem para a vida adulta, como a perda, a descoberta do amor, o medo e a ansiedade. A bexiga, ora um fantasma, ora um anjo da guarda ou até mesmo um cachorro de estimação, parece ser o símbolo de despedida da infância, o último brinquedo –aquele para se lembrar a vida toda. O vermelho do balão surge como um grito colorido em meio a uma Paris melancólica, dominada por tons pastéis de cinzas e marrons.

Lamorisse (1922-1970) foi conhecido com um dos mestres do documentário poético. Embora sua veia documental não esteja tão presente aqui – em O Cavalo Banco, ela é muito mais evidente – a poesia domina o curta, que ganhou diversos prêmios, como a Palma de Ouro de curta- metragem e o Oscar de roteiro original (o único curta a ganhar um prêmio nesta categoria).

Se por um lado os efeitos visuais da era pré-computação gráfica chamam a atenção, por outro, a densidade emocional do filme é o que garante sua atemporalidade e universalidade. Ao falar do mundo infantil e dos ritos de passagem, o diretor mostra que a ruptura para entrar na vida adulta pode ser dolorosa, pois é preciso deixar a criança partir para que o adulto nasça.

Recentemente, O Balão Vermelho serviu de inspiração para A Viagem do Balão Vermelho (ainda inédito no circuito comercial brasileiro, mas exibido na Mostra de SP/07), de Hou Hsiao-hsien. Em seu filme, o diretor taiwainês re-imagina e expande o curta de Lamorisse, dando voz a outros personagens, além do menino.

post