20/02/2024

Festival Internacional de Mulheres no Cinema começa nesta quinta em São Paulo

post-img

Para fortalecer o combate às desigualdades e valorizar a produção cinematográfica realizada e protagonizada por mulheres do Brasil e do mundo, o FIM – Festival Internacional de Mulheres no Cinema foi criado em 2018. Em sua 3ª edição, que será realizada de 23 a 29 de novembro de 2023, o FIM busca ainda combater o etarismo no audiovisual, uma luta fundamental num país cuja população vem envelhecendo. Segundo o IBGE, o número de pessoas com 60 anos ou mais subiu de 11,3% para 14,7% no Brasil entre 2012 e 2021.

A trajetória de Helena Ignez (Salvador, BA, 1942) se confunde com a do cinema brasileiro e seus movimentos mais radicais. Atriz em filmes de grande expressão do Cinema Novo e Cinema Marginal, ela também deixou sua marca na sétima arte no século 21, dirigindo filme autorais que buscam a libertação dos limites do cinema tradicional, propondo novas estéticas em suas narrativas. 

A Homenagem a Helena Ignez exalta sua carreira como atriz e cineasta.  A sessão de abertura do FIM23, dia 23, a partir das 20h30, no CineSesc, apresenta A Alegria é a Prova dos Nove [foto] (2023), seu mais recente filme como diretora. A sessão de encerramento, dia 29, às 20h30, A Mulher de Todos (1969), em que atriz foi dirigida por seu companheiro Rogério Sganzerla (1946 – 2004). 

Para completar a imersão em sua vida e obra, o festival traz a cinebiografia A Mulher da Luz Própria (2019), de sua filha, Sinai Sganzerla. A sessão será seguida de um encontro no foyer do cinema, dia 27, às 18h, com a presença da homenageada, de Pedro Maciel Guimarães, autor do livro “Helena Ignez: Atriz Experimental” (2021, Edições Sesc São Paulo) e da professora, curadora e produtora Patrícia Mourão. 

A programação do FIM23 apresenta 34 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens, produzidos em diversos países e estados brasileiros, e celebra o talento de 36 diretoras. Todas as sessões presenciais serão realizadas no CineSesc (São Paulo). 

A mostra O Fogo que não se Apaga, que enaltece a obra de diretoras brasileiras com 60 anos ou mais, volta à programação do Festival (não foi realizada na “edição da pandemia”, em 2020) e, pela primeira vez, tem caráter competitivo. Na seleção estão filmes recentes de diretoras como Emilia da Silveira, com Até que a Vida nos Separe: Uma Biografia de Nelson Carneiro (2023), que retrata o parlamentar responsável pela aprovação da lei do divórcio; Stella Oswaldo Cruz Penido, com O Coro do Te-Ato (2023), sobre um grupo de atores formado por José Celso Martinez Corrêa durante a ditadura militar; e Lucia Murat, com O Mensageiro(2023), que acompanha um jovem soldado que vai levar uma mensagem de uma presa para sua conservadora mãe.

Também competitiva, a Mostra Brasileira traz narrativas plurais dirigidas por mulheres de diferentes origens. Além de obras ficcionais, a seleção 2023 dá destaque para documentários, como Incompatível com a Vida (2023, SP), de Eliza Capai, que aborda questões relacionadas à gravidez e ao luto e está qualificado para Oscar 2024; Iracemas (2023, CE), de Tuca Siqueira, que recebeu menção honrosa no último Festival do Rio e traz à cena as muitas mulheres e estabelecimentos cearenses que ganharam o nome da personagem criada por José de Alencar; e Nada Será Como Antes – A Música do Clube da Esquina (2023, RJ/MG), de Ana Rieper, que mergulha na sonoridade do conjunto surgido nos anos 1960 em Belo Horizonte, com músicos como Milton Nascimento, Lô Borges e Beto Guedes.

O público votará para eleger o vencedor nas duas competições, que têm curadoria de Beth Sá Freire e Flávia Cândida (também responsáveis pela seleção internacional). Os filmes receberão prêmio em dinheiro destinado às suas diretoras.

 A Mostra Internacional traz um panorama da produção recente de realizadoras de diferentes gerações nos quatro cantos do planeta. Entre selecionados, vem do Panamá As Filhas (Las Hijas, 2023), primeiro longa de Kattia G. Zúñiga, que apresenta a história íntima de duas irmãs adolescentes à procura do pai ausente nas férias de verão. De Camarões, As Preces de Delphine (Les Priéres de Delfine, 2021), de Rosine Mbakan, é o retrato de uma jovem que expõe os padrões de dominação que continuam a aprisionar mulheres africanas. Conhecida como atriz e cantora, a francesa Charlotte Gainsbourg dirigiu Jane por Charlotte (Jane par Charlotte, 2021), que mostra um diferente olhar de sua mãe, a atriz Jane Birkin. Já dos EUA, será exibido All the Beauty and the Bloodshed (2022), de Laura Poitras, ganhador do Leão de Ouro no Festival de Berlim de 2022. O filme conta a emocionante história da artista e ativista Nan Goldin em sua luta para responsabilizar a família Sackler pela crise de opióides nos EUA.

A mostra Todas as Mulheres do Mundo, realizada em parceria com o Curta Kinoforum e curadoria de Alice Marcone, traz uma seleção de curtas-metragens nacionais que dão vozes a mulheres plurais. Equilíbrio (2020), dirigido por Olinda Tupinambá (BA), indígena do povo Tupinambá e Pataxó Hã-Hã-Hãe, parte do discurso da Kaapora, entidade espiritual, para discutir a destruição do planeta. Já “Infantaria” (2022), de Laís Santos Araújo (AL), premiado na última edição do Festival de Berlim, acompanha a família de Joana, uma garota que se prepara para seu aniversário de 10 anos.

As crianças também ganham espaço dentro da programação do FIM23. A Sessão CineClubinho apresenta a animação Tarsilinha (2021), de Celia Catunda e Kiko Mistrorigo. Em uma jornada cheia de inspiração e fantasia, a criançada poderá conhecer a produção da artista modernista Tarsila do Amaral. A sessão acontece dia 26, às 15h, no CineSesc e é grátis para crianças de até 12 anos. 

Ampliando o acesso do público, o programa especial Mulheres que Norteiam será exibido gratuitamente e com exclusividade pela plataforma de streaming Itaú Cultural Play entre os dias 24 de novembro e 08 de dezembro. Com curadoria de Lorenna Montenegro, a mostra inédita é dedicada à pulsante e diversa produção cinematográfica da região Norte. Na seleção, estão os curtas Alexandrina, um Relâmpago (2022), de Keila Sankofa (AM), e Tapajós Ãgawaraitá (2018), de Priscila Tapajowara (PA), e o longa Para Ter Onde Ir (2016), de Jorane Castro (PA). 

Essas três cineastas participam do colóquio online “Cinema na Amazônia Feito por Mulheres”, que terá mediação da curadora da mostra e participação da pensadora Zélia Amador de Deus (UFPA). A proposta é debater os desafios em se fazer cinema no Norte brasileiro. O encontro online se dará no dia 04 de dezembro, às 10h30.

A programação do FIM23 é expandida com um calendário de atividades formativas ministradas por mulheres atuantes no mercado audiovisual e convidadas e voltadas a estudantes, profissionais e amantes do cinema. 

O Seminário Mulheres 60+ no Audiovisual, uma iniciativa com o + Mulheres Lideranças do Audiovisual Brasileiro, aborda o etarismo dentro do mercado audiovisual, revelando a falta de oportunidades para diretoras e atrizes com mais de 60 anos e os estereótipos sobre idade sistematicamente reproduzidos nas telas. Gratuito, o evento será realizado dia 05 de dezembro, das 10h30 às 18h, no Centro de Pesquisa e Formação (CPF) do Sesc São Paulo, terá três mesas com a presença de mulheres proeminentes na indústria cinematográfica brasileira, como Debora Ivanov, Tata Amaral, Tizuka Yamazaki, Laís Bodanzky e Clarisse Abujamra. As inscrições são gratuitas e estarão abertas a partir de 28 de novembro no site do CPF (70 vagas).

Também no Centro de Pesquisa e Formação, os encontros formativos Do Curta ao Longa trazem diretrizes básicas para que novas e novos curta-metragistas possam realizar seu primeiro longa, além de criadoras/criadores, diretoras/diretores e produtoras/produtores que queiram aprimorar seus conhecimentos. Serão três aulas online, ministradas por professoras com vasta experiência em suas áreas de atuação: “Estruturando um Roteiro”, com Alice Marcone, dia 04 de dezembro, das 15h às 18h; “Linguagem Cinematográfica”, com Lina Chamie, dia 06 de dezembro, das 15h às 18h; e “O Essencial para Pós-Produzir Audiovisual no Brasil”, com Keila Borges, dia 11 de dezembro, das 15h às 18h. As inscrições são gratuitas e estarão abertas a partir de 28 de novembro no site do CPF (300 vagas). As aulas serão realizadas na plataforma Zoom.

O Mercado Internacional | Masterclass & Painel são duas ações online gratuitas realizadas em parceria com o Projeto Paradiso que miram mercados cinematográficos internacionais. No dia 29 de novembro, 10h30, a masterclass “A Produção Independente Brasileira no Contexto Internacional”, com Julia Alves, busca contextualizar o mercado internacional para produtoras brasileiras emergentes, visando possibilidades de parcerias nas etapas de produção e distribuição. Já o painel “Show Me The Fund | Foco Mulheres”, apresentado por Minom Pinho, Josephine Bourgois e Micaela Domínguez Prost, dia 24 de novembro, às 14h, no Youtube do FIM CINE e Projeto Paradiso, apresenta alguns fundos internacionais com foco em mulheres que passam a integrar a plataforma Show Me The Fund, ampliando oportunidades de financiamento de projetos e internacionalização de produções.

O FIM23 também promove debates online e gratuitos sobre algumas de suas mostras com as realizadoras dos filmes selecionados e comandados pelo comitê curatorial. São elas: “Todas as Mulheres do Mundo | Curta Kinoforum”, com Alice Marcone, no dia 24 de novembro, às 10h30; “Mostra Competitiva O Fogo que não se Apaga”, com Flávia Cândida, dia 27, às 10h30; e “Competitiva Brasileira”, com Flávia Cândida e Beth Sá Freire, dia 28, às 10h30. As inscrições são gratuitas e estarão abertas a partir de 20 de novembro no site do Festival (vagas limitadas). As transmissões serão realizadas na plataforma Zoom.  O programa formativo encerra com as Mentorias, realizadas em parceria com o programa Paradiso Multiplica e o +Mulheres. Serão selecionados 14 projetos de longas ficcionais dirigidos por mulheres que passarão por consultoria com um time de profissionais do mercado de audiovisual, como Karen Castanho, Kelly Castilho, Silvia Fu e Vânia Lima. Um dos projetos escolhidos também receberá o Prêmio Selo Elas FIM. Os projetos vencedores serão anunciados na cerimônia de encerramento do Festival. Os encontros com as mentoras serão online através da plataforma Zoom.

Para mais informações e programação completa, acesse o site do festival.

Notícias relacionadas