34ª. Mostra Internacional de São Paulo

Capitão Nascimento virou trambiqueiro

Alysson Oliveira

Acostumado com a imagem de Wagner Moura como o agente da lei? Que tal ver o ator de metamorfosear no trambiqueiro profissional? “VIPs”, que estreia hoje na 34ª Mostra, depois de premiado no Festival do Rio, traz o interprete do Capitão Nascimento como Marcelo da Rocha, um sujeito capaz de se fazer passar por outras pessoas. O roteiro, assinado pelo diretor Toniko Melo e Bráulio Mantovani, é baseado numa figura real, que também é tema do documentário “Histórias Reais de um Mentiroso”, de Mariana Caltabiano, em exibição no Festival.
 
Melo, que estreia na direção de longas e tem no currículo trabalhos como série “Som & Fúria”, quis dar um enfoque ficcional para o personagem real. “É a história de um anti-heroi. Para mim, a trajetória dele é uma tragédia. Há ali uma angustia digna de um ‘Hamlet’”, explica o diretor.
 
Enquanto trabalhavam no roteiro, o diretor e Mantovani tiveram de reinventar a história de Marcelo para deixa-la mais cinematográfica. “O que nos atraia foi uma frase numa carta do Marcelo para o Toniko. Ele dizia que chegou uma hora que ‘não conseguia sair do personagem que criou’. Isso que nos guiou na condução da narrativa”. Mantovani vai além e conta que os personagens e situações chegam a ser diferentes da real. “Ao contrário da realidade, no filme, o Marcelo não é um golpista. A mãe dele do cinema não tem muito a ver com a mãe da vida real. Foram algumas mudanças que precisamos fazer”.
 
Toniko chegou a cogitar outro ator para o personagem, mas quando viu Wagner no primeiro “Tropa de Elite” não teve dúvida. “Ele era a pessoa perfeita para levar o personagem para o cinema. Ele soube captar as nuances do Marcelo, encontrar o que havia de mais humano nele”.
 
Quando se pergunta para Mantovani, que também assina o roteiro dos dois “Tropa de Elite”, o que os filmes têm em comum ele ri. “Fora o roteirista e o ator principal, não têm nada! Os personagens são radicalmente diferentes – inclusive na forma como veem o mundo”.
 
Isso até é verdade, mas Toniko conta que leu uma piada na internet que achou engraçada e curiosa. “Um sujeito escreveu que tinha acabado de ver o Marcelo da Rocha tentando se passar por Capitão Nascimento”, lembra o diretor.
 
Já o documentário de Mariana Caltabiano, “Histórias reais de um mentiroso”, começou simultaneamente com o projeto de um livro homônimo , que está em sua edição. A primeira vez que ela viu Marcelo foi no programa do Amaury Jr, no qual o apresentador mostra um sujeito que o havia enganado. Depois a documentarista leu uma reportagem numa revista, e fez contato com a mãe de Marcelo. “Ela me contou que ele tinha acabado de fugir de Bangu I, e não fazia ideia de onde podia estar, ou se estava vivo. Duas semanas depois me ligou e disse que ele estava em Curitiba, e que se eu quisesse falar com ele, esse era o momento”.
 
Marcelo aceitou logo de cara participar do projeto de Mariana, e inclusive abriu mão de uma parte dos lucros do filme e do livro, que ela o oferecia além do cachê. “Quando, finalmente, eu ia começar a o entrevistar, ele me disse que o cineasta Roberto Farias o havia procurado, e que estava pensando em fazer um filme. Mas, falou que topava fazer comigo se eu lhe desse uma parte nos lucros. Quando eu fiz a primeira pergunta para ele: ‘como você faz para enganar as pessoas?’, ele me respondeu: ‘é fácil, acabei de te enganar’ Eu mesma cai numa mentira dele”.
 
Mariana colaborou com Toniko nos primeiros tratamentos de “VIPs’, mas chegou uma hora que achou melhor deixar o projeto para tocar seu documentário. “Estávamos trabalhando há bastante tempo, estávamos muito envolvidos com a história, e é um roteiro muito complexo. Precisávamos de alguém com mais experiência. Foi aí que o Bráulio entrou para o projeto”.
 
O trabalho com o roteiro, conta Mariana, a ajudou muito na montagem do seu documentário, que deve chegar aos cinemas na mesma época que a ficção, assinada poe Melo. “Eu tinha umas 20 fitas gravadas ao longo de um ano. Era muito material, mas meu trabalho com o roteiro de ‘VIPs’ me ensinou algumas coisas, como construir um personagem, como criar tensão. Deu para fazer tudo amarradinho”.
 
Mariana ainda mantém contato com Marcelo e confessa que ele está curioso com a repercussão dos filmes. “Ele me ligou para saber como o documentário estava repercutindo na Mostra. Ele está muito curioso para ver os filmes, mas ainda não viu. Ele não tem regalias no presídio, não dá para levar um computador e mostrar o DVD para ele. Talvez, se ele sair, um dia ele veja”. 
 
VIPS (VIPS)
UNIBANCO ARTEPLEX 1 - 27/10/2010 - 21:30 - Sessão: 502 (Quarta)
CINE TAM - SALA 4 -28/10/2010 - 19:00 - Sessão: 675 (Quinta)
BELAS ARTES - SALA 2 - 29/10/2010 - 14:00 - Sessão: 777 (Sexta)
 
HISTÓRIAS REAIS DE UM MENTIROSO
UNIBANCO ARTEPLEX 4 - 29/10/2010 - 20:00 - Sessão: 723 (Sexta)
UNIBANCO ARTEPLEX 5 - 31/10/2010 - 15:50 - Sessão: 948 (Domingo)

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança