34ª. Mostra Internacional de São Paulo

Filmes orientais constroem retratos femininos curiosos

Alysson Oliveira

Duas personagens femininas em duas pontas diferentes da vida protagonizam filmes orientais que se destacam na programação da 34ª Mostra. No sul-coreano Poesia (foto ao lado), de Lee Chang-Dong (Secret Sunshine), vencedor do prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes deste ano, uma mulher idosa encontra uma válvula de escape na criação de poemas. No nipo-americano Memórias de uma adolescente amnésica, de Hans Canosa (Nosso amor do passado), uma garota tenta se reencontrar depois de bater a cabeça e esquecer várias coisas de seu passado recente.

Os dois filmes são construídos sobre a interpretação das duas atrizes. A estreante coreana Jeong-hee Yoon é Mija, uma avó devotada, que cuida do neto adolescente, trabalha fazendo faxina e cuidando de um homem idoso. Sua rotina muda quando ela se inscreve num curso de poesia num centro cultural perto de sua casa. Já Maki Horikita, de 22 anos e mais de 50 títulos no currículo, é a jovem Naomi, que perde a memória e tenta reconstituir sua identidade por meio de fotos e relatos de amigos.

Jeong-hee, de Poesia, elabora sua personagem de forma contida, com poucas palavras, sempre melancólica, e num grande dilema envolvendo seu neto. O adolescente é acusado, junto com outros amigos, de estuprar repetidamente uma garota na escola, que acaba se suicidando. Os pais dos outros garotos envolvidos procuram Mija, pois pensam em indenizar a família da garota para que seus filhos não sejam processados.

Mija tem poucos recursos. Sua filha mora em outra cidade e quase nunca vê o próprio filho, que está sob os seus cuidados. A trajetória desta avó será em busca de conseguir a quantia necessária para que o futuro de seu neto não seja prejudicado. O garoto, por sua vez, passa o tempo trancado no pequeno quarto, na frente do computador ou da televisão.

Perda de memória
Já a protagonista de Memórias de uma adolescente amnésica, Naomi, usa da palavra como forma de se reencontar no mundo. Como se lembra de poucas coisas do próprio passado, precisa confiar naquilo que seu pai e amigos lhe contam. Ace (Anton Yelchin, de Star Trek) é o típico adolescente da escola, praticante de esportes, popular e disputado pelas garotas. Embora ele seja seu namorado, Naomi encontra mais prazer na companhia de seu amigo Mirai Hasegawa (Yuya Tegoshi) e de Yuji (Kenichi Matsuyama), que a ajudou quando bateu a cabeça.

Curiosamente, Memórias de uma adolescente amnésica segue a rotina dos filmes adolescentes de Hollywood, embora a trama seja situada em Tóquio, numa escola onde se fala inglês e japonês. Os alunos fazem coisas típicas de filmes norte-americanos como yearbook – livro de fotos - e homecoming – baile de formatura.

Este detalhe confere uma certa aura pop ao longa, que se baseia num romance de Gabrielle Zevin, que também assina o roteiro. É um filme destinado ao público jovem – mas não apenas.

Memórias de uma adolescente amnésica

UNIBANCO ARTEPLEX 2
Sessão: 1317 (Quinta)
04/11/2010 - 19:50

Comente
Comentários:
  • 25/10/2010 - 23h06 - Por Márcia Li em algum lugar, Alysson,(não tô lembrando onde agora)que essa a atriz que fez Poesia é uma grande atriz coreana que ficou 15 anos sem trabalhar em nenhum filme...maravilhosa!!
Deixe seu comentário:

Imagem de segurança