Lições Para Toda Vida

Ficha técnica


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

31/03/2004

Esqueça o edificante título brasileiro dado a Lições Para Toda Vida. Tenha em mente o título original, que diz muito mais sobre a história e é um bocado mais charmoso. Secondhand Lions, "Leões de Segunda Mão", e é uma clara referência aos personagens de Michael Caine e Robert Duval, além de se referir também ao leão de segunda mão que aparece no filme, mas isso é só um detalhe.

 

Caine e Duval são Garth e Hub, dois velhos rabugentos que vivem isolados no interior do Texas nos anos 50. Mas essa vida é uma opção deles, e não o acaso que os forçou a isso. Portanto, ninguém é bem-vindo, principalmente vendedores ambulantes que tentam lhes empurrar todo tipo de bugiganga.

 

Mas há uma "bugiganga" que terão de engolir: Walter (Haley Joel Osment), o filho de uma sobrinha distante e irresponsável, que o deixa sob os cuidados dos tios quando supostamente vai para uma faculdade longínqua. Na verdade, ela quer que o filho descubra se é verdade que os tios, supostos assaltantes de banco, têm uma fortuna escondida.

 

Se no início há um grande estranhamento entre o rapaz e os dois velhinhos, com o tempo eles rompem essa barreira e acabam se tornando amigos. Isso é não é nenhuma surpresa, pois desde o primeiro encontro fica claro aonde vão chegar. Mas a forma como os três personagens interagem e acabam se tornando amigos é tão envolvente, que o clichê acaba sendo esquecido. Para o menino, a quem claramente falta uma figura paterna, Garth e Hub serão pai e mãe, por tabela. E para eles, Walter será a novidade que faltava na vida, a energia para fazer descobertas. kl escort girl klmodels

 

Nem todos atores que estréiam ainda crianças têm a mesma sorte de contracenar com coadjuvantes talentosos quando começam a crescer. Basta olhar Macaulay Culkin, que teve como parceiro Ted Denson em Acertando as Contas com Papai, de 1994. Neste ponto, Osment teve muito mais sorte, pois está com dois mestres: Michael Caine e Robert Duvall. Além disso, o personagem está na medida certa para o rapaz, pois ambos já não são mais meninos, nem entraram no mundo dos adultos. Estão naquela fase de crescimento em que são meio desengonçados, os braços parecem ser maiores que o necessário, esbarram em tudo e estão tentando se adaptar a um novo corpo.

 

Do outro lado estão Caine e Duvall, dois atores mais do que comprovadamente talentosos, que irão ajudar a Osment e Walter a fazer os ritos de passagem para a vida adulta. O diretor Tim McCanlies dá total liberdade para os dois brilharem como os excêntricos velhinhos, que de velhos não têm nada.

 

Mas numa Hollywood onde a palavra target (público-alvo) é a ordem, Lições Para Toda Vida enfrenta o seu maior problema: o filme não consegue definir a que público se destina. Os adultos irão achá-lo um filme para adolescentes; estes, por sua vez, vão pensar que é para o púbico infantil. E as crianças não vão achar nada, porque estarão na sala ao lado vendo Scooby-Doo 2.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança