A Família da Noiva

Ficha técnica


País


Sinopse

A bela Theresa Jones (Zoe Saldana) namora Simon Green (Ashton Kutcher). Mas eles terão de enfrentar o preconceito da família dela. Todos são negros, e ele é branco. Inspirado no clássico filme Adivinhe quem vem para jantar? (1967), que mostrava uma moça branca namorando um negro e enfrentando o preconceito da família dela.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

20/04/2005

Uma das situações mais desconfortáveis da vida em família é, sem dúvida, ser apresentado a ela. Uma ocasião tão constrangedora que não foram poucas as comédias que se aproveitaram dela para colocar seus personagens em incômodas, porém hilárias, situações.

No cinema, a mais recente é Entrando numa Fria (2000), em que o personagem do ator Ben Stiller sofreu todos os tipos de vexames ao lado de seu sogro espião da CIA. Embora as piadas de gosto duvidoso fossem uma constante nessa história, o saldo foi extremamente positivo - motivo pelo qual o filme teve uma continuação, que recentemente saiu de cartaz nos cinemas brasileiros.

Seguindo a mesma temática, chega às telas A Família da Noiva, uma produção mediana que tem atraído espectadores nos Estados Unidos pela química entre os atores Bernie Mac (Onze Homens e um Segredo, Papai Noel às Avessas) e Ashton Kutcher (Efeito Borboleta e da série da MTV Punk’d). No entanto, enquanto o filme de 2000 mostrava um protagonista azarado e trapalhão, a nova produção segue perigosamente pela discussão racial.

A história começa quando Simon e Theresa (Zoë Saldaña) decidem anunciar seu casamento durante as bodas de prata dos pais da moça. O problema todo aqui é o fato de Simon ser branco (ou melhor, anglo-saxão), para desespero do Sr. Jones (Bernie Mac), que esperava ver sua filha casada com um rapaz afrodescendente. Assim, além de enfrentar a desconfiança de um pai zeloso, Simon terá de passar por um escrutínio inter-racial.

A história é livremente inspirada no filme Adivinhe Quem Vem Para Jantar? (1967), protagonizado por Spencer Tracy, Sidney Poitier e Katharine Hepburn. E reafirme-se o livremente, porque a nova produção não passa de um roteiro irregular, sem graça e às avessas, que não pode ser comparado em qualquer nível com seu antecessor.

O diretor Kevin Sullivan parece não ter conseguido acrescentar humor ao filme, quando tentou fugir das discussões raciais mais pesadas. Negros e brancos são estigmatizados nesta produção, colocando-os em situações que estão no limite de um diálogo tolerante. Sem sutileza ou surpresa, o humor sai de cena ao lado da originalidade.

Como comédia, A Família da Noiva está aquém de sua função: fazer rir. Resta ao espectador um punhado de piadas rasas, a grosseria de velhos preconceitos e uma dezena de músicas mal empregadas numa trilha sonora destoante. Mas por que os americanos então gostaram tanto? A resposta está no carisma dos protagonistas, que naquelas bandas fazem sucesso com seus programas televisivos. Aqui, dificilmente, teria alguma justificativa.

Rodrigo Zavala


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança