Noite de São João

Ficha técnica


País


Sinopse

Baseado na peça Senhorita Júlia, de August Strindberg, o filme mostra uma uma história de amor entre a filha de um fazendeiro e um capataz. Na noite de São João, a dupla se entrega ao seu desejo.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

23/06/2005

Poucos filmes causaram tanta polêmica no Festival de Gramado como Noite de São João, que levou quatro Kikitos em 2003. A entrega dos prêmios foi marcada por efusivas vaias e gritos de injustiça, principalmente quando Marcelo Serrado estendeu a mão para receber o kikito de melhor ator. O filme estréia exclusivamente em São Paulo.

O roteiro, livremente adaptado do drama teatral Senhorita Júlia (1888) do sueco August Strindberg (1842-1912), conta uma história de amor entre a filha de um estancieiro e seu capataz. Tudo se passa em meio às tradicionais festas de São João, quando ambos se entregam aos seus desejos numa noite fria do interior gaúcho. Um história simplória que explorou todos os estereótipos dos personagens sulistas do início do século passado.

No entanto, o constrangimento pelo qual passou o ator tem outras explicações. Como representante gaúcho no festival, o filme decepcionou público e crítica, seja pela má escolha do elenco, seja pela má condução da trama pelo diretor Sérgio Silva (o mesmo do empolgante Anahy de Las Missiones). Mesmo a fotografia (que levou outro kikito na mesma noite) não coopera: o filme é muito escuro, deixando invisível o trabalho de cenografia e figurino.

Ou seja, tudo pareceu muito imerecido aos olhos do público e mesmo da crítica, exceto pelo prêmio dado a Dira Paes, como melhor atriz coadjuvante. Afinal, Noite de São João disputava com o favorito /b>De Passagem, do paulista Ricardo Elias, que, de início, pareceu monopolizar todos os kikitos de 2003 e levou os mais importantes, melhor filme e direção.

Marcelo Serrado e Fernanda Rodrigues, no papel de capataz e da esnobe menina rica, respectivamente, apresentam performances muito amadorísticas para serem levadas a sério - por isso as vaias do público perplexo em Gramado. Suas atuações desperdiçam bons diálogos deixados pelo roteiro, assinado também pelo próprio diretor. Este, por sua vez, fraqueja na condução das cenas, ao não perceber que os atores protagonistas não cabiam em seus papéis.

Assim, sobra muito pouco de Noite de São João para sensibilizar o espectador. Uma história de amor que não emociona, misturada a uma inversão de papéis entre submisso e dominante que não convence. Sérgio Silva erra num filme temático, com dia exato para estrear.

Rodrigo Zavala


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança