Querida Wendy

Ficha técnica

  • Nome: Querida Wendy
  • Nome Original: Dear Wendy
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Dinamarca
  • Ano de produção: 2005
  • Gênero: Drama
  • Duração: 105 min
  • Classificação: 18 anos
  • Direção: Thomas Vinterberg
  • Elenco: Jamie Bell, Bill Pullman

País


Sinopse

Numa pequena cidade dos EUA, Dick leva uma vida solitária. Apesar de se dizer pacifista, decide montar um clube de tiro com um grupo de amigos. Em princípio, eles não pretendem utilizar as armas fora de lá. Aos poucos, a situação foge ao controle.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

29/11/2005

A questão das armas na sociedade é o tema central deste drama escrito pelo sempre provocador Lars von Trier (Dogville) e dirigido pelo seu colega dogmático Thomas Vinterberg (Festa de Família). Situado numa cidadezinha nos Estados Unidos –provavelmente numa estrada que une as cidades Dogville e Manderlay – o longa mostra a mudança radical na vida de um grupo de jovens quando eles conhecem as armas.

Dick (o ótimo Jamie Bell, de Billy Elliott) escreve uma carta para sua amada Wendy, que não é uma namorada e sim uma arma. Ele começa contando a sua história. Filho de mineiro, o jovem se recusa a trabalhar nas minas e acaba arrumando um emprego como atendente num mercadinho. Vivendo com o pai e recebendo os cuidados da empregada afro-americana, ele não tem muitas perspectivas na vida. Até o dia em que compra um revólver de brinquedo para dar a um amigo de aniversário, mas acaba mudando de idéia e ficando com a arma. Depois, dá-lhe o nome de Wendy.

Quando seu pai morre e a empregada deixa de trabalhar para ele, Dick fica sozinho no mundo. Com a ajuda de um colega de trabalho, descobre que sua arma é de verdade e funciona. Os dois passam a se reunir para praticar tiro ao alvo em um galpão abandonado. Mesmo assim, o rapaz se diz ser um pacifista, pois a idéia é nunca usar as armas fora dali. O clube do tiro começa a crescer quando surgem a garota Susan e outros rapazes.

Eles passam a se chamar de “dandies” e têm uma verdadeira relação de amor com as suas armas, dando-lhes nomes e tratando-as como se fossem amigos. Mas nada é simples nesse universo de von Trier. Aos poucos, Dick, um pacifista inveterado, é seduzido pelo poder que o porte da arma lhe dá e se torna um paradoxo ambulante.

Nessa mesma época, o xerife local (Bill Pullman) pede a Dick para ser o agente de condicional de um jovem afro-americano que está sob vigilância. O garoto pensa em recusar, mas quer ceder à possibilidade de exercer o poder. O rapaz problemático se une ao grupo e começa uma nova fase na parceria dos dandies.

Querida Wendy foi exibido no Festival de Sundance onde causou muita polêmica – com comentários muito parecidos com aqueles feitos a Dogville, dizendo que o filme é antiamericano e que von Trier não pode criticar o país sem nunca o ter visitado. Mas nada disso abala o efeito do filme.

Com uma trilha sonora escolhida a dedo – apenas com músicas da banda Zombies – o filme é pensado para causar impacto e desconforto. Acreditar ou não nos argumentos da dupla dinamarquesa depende de cada um – mas não dá para ficar indiferente.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança