O casamento do meu ex

Ficha técnica


País


Sinopse

Lila e Tom vão se casar. Os amigos da faculdade, que formavam uma turma que se auto-intitulava "Os Românticos", vêm em peso. Entre eles, Laura, que foi namorada de Tom e o faz lembrar do passado, quando ele tinha outros ideais.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

27/07/2011

O casamento do meu ex, da diretora Galt Niederhoffer, baseado em romance de sua autoria, tem embalagem de comédia romântica. Mas, na verdade, é um drama com alguns momentos de alívio cômico, que dificilmente serão lembrados quando as luzes do cinema se acenderem. O filme deixa um sabor amargo no final, pois trata na verdade de disputa, inveja, aparências, traições e acomodação. Tudo com base em relacionamentos construídos com o peso de frustrações, arrependimentos e solidão.
 
Tom (Josh Duhamel), professor de inglês e atleta destacado em Harvard, está a poucas horas de seu casamento, que será realizado na casa dos pais da noiva, Lila (Anna Paquin), uma propriedade encantadora com direito a uma praia particular. Na casa há uma inquietação tipicamente feminina com a grande festa. Lila, sua irmã adolescente e a mãe, Augusta (Candice Bergen), estão à espera de um grupo de jovens casais, amigos da noiva. Entre eles está a única desacompanhada, Laura (Katie Holmes), amiga próxima de Lila e ex-namorada de Tom, que será dama de honra dos noivos.
 
O encontro dos amigos, que formavam na faculdade o grupo autodenominado Os Românticos (título original do filme) não acrescenta muito à trama. Eles relembram histórias do passado, depois de uma bebedeira no jantar que antecede o casamento, mas nada de excepcional é revelado. A situação de Laura, a preterida pelo noivo, é tema das conversas, mas ela nega qualquer mágoa. O assunto, para ela, já está superado. No entanto, a forma extraordinariamente contida como Katie interpreta sua personagem sinaliza que uma bomba potente está prestes a explodir.
 
Mas não se espere que tudo o que Katie tem sufocado vai se transformar em um tsunami de mágoas. O que ela guarda é muito mais profundo e tem a ver com compromisso sincero, coragem e escolhas, tanto as dela como as de Tom. Ela sabe que a amiga sempre roubou seus melhores momentos e conquistas, mas não confere a Lila o título de vencedora. Se há um perdedor é Tom, que em determinado momento de seu relacionamento de quatro anos com Laura, opta pela segurança de um compromisso com uma mulher mais rica e aparentemente mais submissa. A esta altura, ele mostra-se alheio, como se estivesse reavaliando a questão e estivesse prestes a mandar tudo para o espaço.
 
O casamento do meu ex não alça grandes vôos e também não constrói, com exceção de Laura, personagens mais densos e ricos. O grupo de jovens casais, na faixa dos 30 anos, parece representar o retrato de uma geração apática, sem ambições, para quem o amor, a amizade e os projetos pessoais são apenas convenções burocráticas que não provocam nenhum entusiasmo. Ninguém está optando por grandes desafios, ao contrário, estão acomodados com o pouco que já conseguiram.
 
Por isso a personagem de Laura é um contraponto muito benvindo, por mostrar que ainda é possível manter a coerência com os sonhos da juventude e não abrir mão de princípios. Esse é o desafio que Tom deve encarar e sua noiva faz questão de esquecer.

Luiz Vita


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança