O impossível

Ficha técnica


País


Sinopse

De férias na Tailândia, família britânica - um casal e seus três filhos - sofre os terríveis efeitos do tsunami de 2004. Separados uns dos outros, eles tentam sobreviver e saber o que aconteceu com os parentes que estão longe deles.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

19/12/2012

Embora a roupagem aponte para mais um filme-catástrofe, O Impossível é uma obra contundente do diretor catalão Juan Antonio Bayona (de O Orfanato) com base no tsunami que devastou a costa asiática em 2004, deixando mais de 230 mil mortos. Inspirado no drama de uma família espanhola (no filme, britânica) que passava férias na Tailândia, Bayona vai além do registro e traz à tela uma história humanista de sobrevivência sem perder a tensão.

Maria (Naomi Watts, indicada por este papel ao Globo de Ouro de melhor atriz em drama) e Henry (Ewan McGregor) descansam tranquilamente com seus três filhos, Lucas (Tom Holland), Thomas (Samuel Joslin) e Simon (Oaklee Pendergast), em um paradisíaco resort à beira-mar. Pouco depois estão lutando pela própria vida, ao serem arrastados por ondas de até 30 metros de altura por onde antes existiam ruas, lojas e hotéis.

Nesse ponto é possível dividir o filme em três grandes partes. A primeira é esta, em que os efeitos especiais e a técnica da produção falam mais alto e o espectador acompanha a força destruidora do tsunami em si. Imagens rápidas, com movimentos aleatórios sob a superfície e tentativas de emergir das águas. Quando se vê Maria agarrada ao topo de um coqueiro submerso, aterrorizada, percebe-se a gravidade do que está acontecendo.

Em um segundo ponto é o esforço de sobrevivência de Maria e seu filho Lucas, seja durante o maremoto, seja para encontrar socorro quando a água baixa. Um trabalho delicado, mas não menos poderoso da dupla Watts e Holland, ao mostrar que as feridas emocionais eram, naquela hora, tão dolorosas quanto as graves lesões físicas.

Por fim, o drama pós-catástrofe, em que os personagens buscam não apenas seus familiares sobreviventes, como também um pouco de sentido sobre o seu próprio destino. O rompante de desespero de Henry ao confessar a um parente na Inglaterra (com quem fala por meio de um celular emprestado) que não tem ideia de onde está sua família, ou mesmo como encontrá-la, aflige não pela impotência, mas pela sinceridade com que McGregor transmite um sentimento real.

De forma integral, o catalão Juan Antonio Bayona entrega um filme forte, tenso e bem produzido, que, amparado por um elenco afiado, envolve e emociona. Embora a dramatização da cena de destruição do tsunami já tenha sido retratada no filme de Clint Eastwood, Além da Vida (2010), esta produção espanhola vai além ao mostrar que edifícios podem ser reconstruídos, ferimentos sanados, mas uma tragédia como esta é um ponto de ruptura forte demais para ser reparado.

Rodrigo Zavala


Trailer


Comente
Comentários:
  • 26/12/2012 - 14h02 - Por andreia muito lindo e triste mas crenho que tudo da serto no final
  • 01/01/2013 - 17h05 - Por Thais Filme maravilhoso e muito emocionante!!!!!!
Deixe seu comentário:

Imagem de segurança