América Armada

Ficha técnica

  • Nome: América Armada
  • Nome Original: América Armada
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2020
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 78 min
  • Classificação: 10 anos
  • Direção: Alice Lanari, Pedro Asbeg
  • Elenco:

País


Sinopse

Três países da América Latina - Brasil, Colômbia e México - e três realidades bastante parecidas marcadas pela violência. O documentário acompanha o cotidiano de três ativistas e sua luta contra uma sociedade cada vez mais militarizada e armada.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/03/2021

América Armada, de Alice Lanari e Pedro Asbeg, coloca o dedo na ferida – uma ferida aberta que assola boa parte do mundo, o armamento da sociedade e suas consequências. Mas seu documentário concentra-se em três países da América Latina: Brasil, México e Colômbia. Acompanhando o trabalho de um trio de ativistas, o longa mergulha no caos social e político que permite o surgimento de guerrilhas e milícias.
 
No Brasil, o filme acompanha Raull Santiago, um jovem que cresceu no Complexo do Alemão (RJ), e agora participa de um coletivo chamado Papo Reto. Com seu celular em punho, transmite ao vivo as incursões e abusos da polícia supostamente pacificadora em sua comunidade. Sem muita intervenção, e contando com um registro direto e corajoso, o filme mostra o trabalho e os riscos que esse jovem corre a todo momento diante de PMs violentos e nada dispostos a dialogar.
 
No México, o filme segue Heriberto Paredes, jornalista que foi ameaçado de morte, mas nem por isso desistiu de acompanhar e auxiliar grupos de indígenas, forçados a se organizar e criar mecanismos de autodefesa, para proteger suas vidas e territórios ameaçados pelo narcotráfico. Essa e a brasileira são duas histórias explícitas de violência, que são contrapostas, no longa, pelos relatos de uma ativista colombiana, Teresita Gaviria, militante do grupo Madres de La Candelaria, que assiste pessoas, em geral mulheres, que perderam parentes para a violência armada e promove, inclusive, seus encontros com os assassinos de seus entes queridos na prisão.
 
América Armada poderia facilmente cair num tratado sociológico que busca explicações e motivos para violência endêmica que assola esses países. Mas Lanari e Asbeg se mostram documentaristas abertos ao material – especialmente o humano – que captaram, e, assim, fazem um filme em construção constante, repleto de curiosidade e indignação.
 
O projeto do documentário começou em 2014, e sua existência agora é um atestado de sua atualidade, diante da ameaça de militarização da sociedade brasileira. Desde aquele momento até agora, o acesso a armas se tornou cada vez mais preocupante no Brasil. Ao mostrar a situação em outros países – em especial o México –, América Armada revela um caminho do qual o retorno é bastante difícil – senão impossível.
 
Clique aqui para ler a entrevista com os diretores, Alice Lanari e Pedro Asbeg

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança