Notícias

Aidan Quinn classifica “O hóspede americano” como a coisa mais difícil que fez na vida

Publicado em 23/09/21 às 16h30

 
 Aidan Quinn e Dana Delany, como o casal Theodore e Eleanor Roosevelt, na série O hóspede americano (Crédito: Divulgação/HBO)

O ator norte-americano Aidan Quinn já conhecia a Amazônia quando veio para o Brasil filmar a série O Hóspede Americano, em 2019, dirigido por Bruno Barreto. Três décadas antes, ele esteve na mesma região para rodar Brincando nos Campos do Senhor, de Hector Babenco, em que interpretava um missionário fundamentalista que veio converter indígenas. Mas nada o havia preparado para o desafio de interpretar o presidente norte-americano Theodore Roosevelt na série televisiva que estreia na HBO e na plataforma HBO Max, no próximo domingo (26-9), com um episódio por semana – ao todo, são quatro.
 
“Já fiz vários personagens, inclusive Hamlet, mas nunca nenhum como esse. Sempre fiz muito coadjuvantes no cinema, e estava cansado disso. Pedi a Deus que me desse um papel que usasse todo o meu talento, me usasse por completo. Quando li o roteiro, descobri que seria a coisa mais difícil que eu faria. Mas valeu a pena”, disse em coletiva realizada via Zoom.
 
O ator ressalta também que ficou espantado quando reencontrou a Amazônia. “É devastador comparar a floresta daquela época com a de agora. A natureza está sendo destruída, mas creio que as pessoas estão mudando. É inegável que o clima está mudando, e precisamos de liderança e decência, como as de Roosevelt”.
 
Quinn e o roteirista Matthew Chapman destacam que Roosevelt, que foi presidente entre 1901 e 1909, era apaixonado pela natureza e a conhecia muito bem. “Ele foi responsável pela preservação do campo nos EUA. Não fosse por ele, não teríamos ar respirável no país”, destaca o escritor. O hóspede americano retrata a viagem do político à selva amazônica, entre 1913 e 1914, pouco depois de perder as eleições. Em companhia do marechal Rondon, interpretado por Chico Díaz, ele faz o percurso de um rio, cujo trajeto era desconhecido e que acabou ganhando seu nome.
 
Barreto conta que, incialmente, pretendia fazer um filme sobre o episódio. Mas quando começou a mostrar o roteiro para colegas, percebeu que poderia explorar mais da visita e da parceria entre Rondon e Roosevelt. Foi quando a HBO entrou no projeto e ele resolveu expandir para uma série. A partir de então, Chapman se aprofundou na pesquisa e nos personagens.
 
O diretor ressalta que, em O hóspede americano, buscou um equilíbrio entre uma linguagem acessível para o grande público, afinal é um programa de televisão, mas sem apelar para coloquialismos, tentando manter o linguajar e os costumes da época. Quinn ressalta que Barreto é um diretor bastante aberto a sugestões e, como ator, ele tentou contribuir bastante com a série. “Para o Aidan, fazer o personagem, foi pular de bungee jump sem rede”, compara o diretor.
 
Clique para ler mais sobre a série

Alysson Oliveira


Outras notícias